sexta-feira, novembro 24, 2006

"Mais uma vez, ela deu o braço a torcer.."


Mais uma vez, estava ela a chorar. As lágrimas caiam e caiam, as dores e nódoas negras no corpo eram gritantes.
Lá estava ela: perdida, confusa, sem forças para pedir ajuda.
Queria fugir, mas tinha medo. Um medo que não só lhe invadia a alma como o coração, um medo que ultrapassava a sua coragem, um medo que a fazia desesperar, um medo que aos poucos a (es)batia.
Um dia, foi obrigada a largar tudo. Partiu. Fez uma viagem sem data de regresso. Foi ter com o seu filho ao Céu. Agora, já não tinha mais de jogar ao jogo do silêncio!


P.S. A violência doméstica vai matando!

(Mais ums historiazinha com mensagem!)

5 comentários:

O Maravilhoso Homem-Tangerina disse...

A violência doméstica não mata. Aleija.

=D

Tig@s disse...

Só mostra a capacidade humana para a cobardia. É uma pena que coisas destas aconteçam assim...

Rafael disse...

eu n sei o k e ixo, e tmbm espero nunka saber. pa mim kem faz este tipo d coisas e pk n sabe o k e gostar msm d alguem, pk n s faz a ninguem pr msns k s goste dexa pexoa!!!

KasaK disse...

ainda nao consegui compreender o k leva exas pessoas a cometer tais acções, mas k existem existem, e k teem d parar, teem...
pessoalmente era queima-los, mas va, um bom arraial d porrada e capaz d resultar melhor...

joaninha disse...

o pior é que a tua história representa muitas realidades... muitissimas (infelizmente)... cabe-nos a nos ajudar ...

beijinhos

(P.S: eu assim pelo nome nao conheco o teu mano porque ainda estou muito por fora do SPES mas quem sabe se aos poucos não entro no espirito ;))