sexta-feira, maio 25, 2007

Velho

- Oh menina será que vai chover?
- Provavelmente... O céu está tão cinzento. Tenho de ir. Xaú!
- Xaú menina. Deus queira que não chova!
- Deus queira...


Lá ia eu no meu percurso habitual quando fui interpelada por uma velhinha que, na ânsia de conversar com alguém, meteu conversa comigo. O diálogo foi rápido, mas foi suficiente para perceber que aquela senhora estava tão só e ao mesmo tempo tão desejosa de se libertar do vazio que habita em si... Tive pena! Percebi ainda que ela confia em Deus, e Ele certamente lhe irá dar um pouco de alegria e irá ajudá-la. Quem sabe se Ele não irá enviar alguém como eu para a saudar! Afinal de contas somos nós que temos de cumprir aquilo que Ele espera de nós!

P.S. Gostava de ter ficado mais tempo a falar com a senhora, mas tinha uma consulta e já estava atrasada. Tive pena...

-------------------------------------------------------------------------------------
Velho

Parado e atento à raiva do silêncio
De um relógio partido e gasto pelo tempo
Estava um velho sentado no banco de um jardim
A recordar fragmentos do passado

Na telefonia tocava uma velha canção
E um jovem cantor falava na solidão
Que sabes tu do canto de estar só assim
Só e abandonado como o velho do jardim?

O olhar triste e cansado procurando alguém
E a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
Sabes eu acho que todos fogem de ti prá não ver
A imagem da solidão que irão viver
Quando forem como tu
Um velho sentado num jardim

Passam os dias e sentes que és um perdedor
Já não consegues saber o que tem ou não valor
O teu caminho parece estar mesmo a chegar ao fim
Para dares lugar a outro no teu banco do jardim

O olhar triste e cansado procurando alguém
E a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
Sabes eu acho que todos fogem de ti prá não ver
A imagem da solidão que irão viver
Quando forem como tu
Um resto de tudo o que existiu
Quando forem como tu
Um velho sentado num jardim

Música de Mafalda Veiga

6 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
pulguita=) disse...

"Sabes eu acho que todos fogem de ti prá não ver
A imagem da solidão que irão viver
Quando forem como tu
Um resto de tudo o que existiu
Quando forem como tu
Um velho sentado num jardim"
_simplesmente lindah a musica...

tds temos medo de acabar na solidao como a maior parte dessas pessoas marcadas pela vida feliz que viveram e agora perdidos algures entre o passado e o presente!!

"O velho olha o Tejo
Só encontra passado
O futuro este estranho
Custa-lhe caro.

O velho procura restos
Que o Tejo lhe lança às mãos
Procura o pão
O futuro, não o alimenta.

O velho é solidão
Uma sombra esguia na areia
Seu futuro é miragem, não oásis.

O velho namora o Tejo
Companheiro de todos os dias
Sua lápide, o futuro.

(Ozias Filho)"

bj bom fds goreti*

picknina disse...

A musika k tu m mostras.t ontem passou hj nu topmais...lol
Bj bm fds

joaninha disse...

as vezes eles precisam so mesmo de um sorriso e de umas palavras simpaticas!

*beijinho*

Pedro Costa disse...

Bem, o que se pode dizer acerca deste post, apenas que já não existem muitas pessoas como tu..., com essa bondade, gentileza, genuinidade, etc... Fazes bem em ser quem és, não mudes nunca..

the_thing disse...

eu tb me deparo com mts situações assim, mas tb cm tu n posso faxer mt... por vexes gostava de faxer mais mas n consigo :( :(


bom post :D