quarta-feira, março 12, 2008

as minhas palavras


Há palavras que se perdem. Perdem-se em tudo: no tempo, no espaço, no pensamento, na fala. Perdem-se como se fossem partículas de nada, como se não fossem importantes, como se os pormenores não fossem essenciais para a compreensão de coisas. As palavras perdem-se nos assobios do vento, na luz da luz e na água que evapora. Elevam-se e misturam-se no escuro do céu. Ainda assim, tenho algumas comigo; não sei se são muitas ou poucas: são as que me ficam e que não se perdem. É com estas que desenho frases e bordos textos. É com estas que me conheço e me melhoro. São elas que dão sabor ao que sinto e vivo.
São elas... as minhas palavras.

P.S. Só espero que elas tenham um sentido hoje, amanhã e depois.

2 comentários:

pulguita=) disse...

é incrivel como as palavras são tão pequenas a actos imperfeitos ou fenomenos comuns...ficam tao longe mas precisamos tanto delas para tentar ao maximo exprimir toda a emoção que sentimos quando as presenciamos...ficam tao longe...mas sao tao precisas...

para pensar...para desabafar...

bjoka

Sandra Daniela disse...

Têm sempre significado! basta senti-las com a alma!

um beijinho grande!!!