sábado, setembro 15, 2012

Explicação


Há no mundo da matemática e da “Normalidade” uma curva gaussiana que ousadamente nos mostra a banalidade dos seres e a “anormalidade” de outros, daqueles que fogem ao padrão e são, por isso, um desvio do padrão.

Um desvio tão incompreendido. Um desvio que faz ser sensível e chorar pelos sinais que aparecem, mesmo subtilmente. Um desvio que é tão difícil de viver pela complexidade dos pensamentos, das razões que damos às coisas. Um desvio que se transforma num desafio e numa aceitação dos 95% normais.

Hoje, procuro entender como é possível haver uma potenciação de seres que tanto divergem e que, curiosamente, parecem não se intersectar na linha.
Sabe-se que uma linha é um conjunto infinito de pontos, que saltitam de um lado para o outro. Sabe-se que há saltos momentâneos do intervalo dos 95% para o de 5% e do de 5% para os de 95%.

O que hoje procuro descobrir é se há saltos destes abruptos para sempre. Numa aceitação plena da diferença clara de gostos, de sentidos, de sonhos, de desejos.
Acredito que há e que é possível a linha manter-se equilibrada, sem muitos zig-zags. Mas para isso é preciso que a soma seja a unidade: 0,95 +0,05. Se não se conseguir a soma, não vale a pena prolongar a estadia no intervalo que não nos pertence.

Há que voltar à raiz e procurar a explicação do 5% ser tanto e ser capaz de criar cumplicidades especiais, embora possa doer num final.

No intervalo da “anormalidade” tudo é mais trágico, tudo é mais feliz, tudo é mais tudo. Porque aqui, o mais, é uma curva crescente do que somos. E neste intervalo, crescemos sempre para mais infinito e procuramos sempre quem o potencie mais e mais.

Acabo de te explicar.

2 comentários:

Ângela Peça disse...

A ousadia da matemática...tentar explicar por números o que é inexplicável por palavras...
...mas pode ser que com os palavras e números consigamos encontrar a explicação...o primeiro passo?ler o teu blog! :)

pontodeluz disse...

Ora aqui está ele...
http://ser-so-ser.blogspot.pt/2012/09/apenas-5-da-populacao-mundial-consegue.html