domingo, fevereiro 03, 2008

Máscara com sorrisos e malmequeres


Sinto-a como se navegasse por mim dentro, como se percorresse todos os meus neurónios numa sinapse demorada. Percorre-me sem me pedir licença, aparece-me sem me dar escolha e perturba-me sem me perguntar se incomoda. E incomoda mais que muito. Incomoda ainda um tanto quando pára. Ela pára. Pára cá dentro, bem ao centro, quase no meu ponto de equilíbrio; no meu peito.
Dói-me esta dor escura, este vazio que existe em ti e que sabe a amargura. Dói-me tudo aquilo que fica encurralado nos meus pensamentos. Fica tudo preso, tudo cá dentro, sem liberdade no labirinto infinito que é este espelho. Nada sai, porque há um medo. O medo de magoar quando sair em palavras escuras. Dói-me.
Pormenores, apenas pormenores. Pormenores que sempre podem ser despistados com uma máscara. Uma máscara com sorrisos e malmequeres.

P.S. Não há qualquer tipo de explicação, há coisas inexplicáveis e inegáveis.

4 comentários:

Alexandre disse...

"Descalça vai para a fonte
Leanor pela verdura;
vai fermosa, e não segura."

Camões

Marco Martins disse...

Não deixes que a dor te atormente muito mais, não deixes que te contem o "nada"...

MM de volta :)

Beijo*

...Ju... disse...

vai passar acredita... respira fundo, lava a cara com agua fria e enfrenta o q te doi... vai te doer 1 cadinho mais mas e a forma mais rapida de aliviar... :)

*bjinho*

pulguita=) disse...

nao sei o que dizer...as vezs é mesmo preciso ter aquela mascara para esconder toda a dor que nos perturba e mata por dentro...mas há sempre uma luz ao fundo do tunel...nem que para isso tenhas de a descobrir...tenho a certeza que a tua felicidade é como a lz do tunel...iras descobri-la mais cedo do que imaginas!!

bjoka

PS gndes 2 dias...é pena ter ficado com amigdalite ota vez!!